Quinta-feira, 4 de Setembro de 2008
Rosa de Setembro

Rosa de Setembro

Saudoso já deste verão que veio,
Lágrimas para as flores dele emprego
Na lembrança invertida
De quando hei de perdê-las.
Transpostos os portais irreparáveis
De cada ano, me antecipo a sombra
Em que hei de errar, sem flores,
No abismo rumoroso.
E colho a rosa porque a sorte manda.
Marcenda, guardo-a; murche-se comigo
Antes que com a curva
Diurna da ampla terra.

Ricardo Reis

 


tags:

publicado por Filomena às 14:25
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Visita n.º
free statistics
Sirius Coupons
Brandi Carlile-The story -

Visit AvelarHoje
blogs SAPO
.subscrever feeds